terça-feira, 6 de julho de 2010

O Velho e o Moço

Esta é a letra da canção, na íntegra, escaneada do encarte do CD Ventura, lançado em 2003:



É bem provável que essa canção tenha lhe causado estranhamento quando ouvida pela primeira vez. A verdade é que a composição de Rodrigo Amarante parece exigir do ouvinte maior atenção do que de costume. Comecei a compreendê-la melhor quando entendi que o seu título – O velho e o moço é peça de fundamental importância para que o ouvinte desvende seu mistério e alcance, assim, a interpretação do texto. Seu título estabelece uma temática universal que sugere, através da velhice e da mocidade, uma reflexão sobre aquele que, em nossos dias, talvez seja um dos maiores inimigos do homem: o tempo.

Ao observar atentamente a estrutura das estrofes podemos perceber sem muito esforço que a composição apresenta uma alternância de vozes líricas que expressam o fluxo de consciência tanto do velho quanto do moço. Ora somos levados a conhecer o conformismo, o cansaço, o saudosismo do velho, ora a conhecer o desprendimento, a vaidade, o ímpeto inconseqüente dos anseios do jovem. Neles podemos notar que o tom é de desabafo, de reflexão, de vertigem. No caso do velho, daquilo que, no passado, quase lhe causou arrependimento. No jovem, a ansiedade daquilo que pode, ou não, lhe ocorrer no futuro conforme suas decisões.

Se observarmos a disposição das estrofes vemos sem muita dificuldade como suas vozes são distribuídas em períodos diferentes. A começar pelo velho, que se exprime a partir da estrofe 1 até a estrofe 4; em seguida, temos a voz do jovem que se exprime a partir da estrofe 5 e segue até metade da estrofe 8; e por fim, notamos nos versos restantes a alternância das vozes que, em determinado momento, se unificam, e revelam, assim, não apenas uma reflexão sobre o tempo, mas também uma reflexão sobre o acaso, o destino – seja ele passado, ou futuro. Se imaginássemos uma estrutura da canção poderíamos rascunhá-la da seguinte maneira:


É preciso lembrar, também, que toda composição poética segue uma forma  seja ela fixa, ou não. O versos de Amarante, por exemplo, seguem, a princípio, a métrica do verso pentassílabo (ou redondilha menor), ou seja, são divididos, em geral, em cinco sílabas poéticas. Essa escolha não é gratuita, foi usada porque ela se faz bastante presente nas trovas populares (pode ser facilmente decorada) e produz um ritmo circular na canção, talvez com a intenção de sugerir certa nostalgia e perplexidade no poema, fazendo que o ouvinte imagine, mesmo que inconscientemente, um túnel temporal que o remeta tanto ao passado quanto ao futuro.

Além disso, podemos perceber que o timbre do teclado, dos metais e a marcação do tempo pelo bumbo sugerem o devaneio do velho e do moço, pois embora se refiram ao tempo, as vozes líricas o enxergam cada qual pelo seu prisma. Na melodia percebemos essa divisão quando o vocalista deixa de cantar e os instrumentos tomam lugar na canção, sugerindo o momento de passagem do tempo. Deixa-se, então, de exprimir reflexões quanto ao passado e passa-se às reflexões quanto ao futuro.

Outro detalhe que deve ser observado é a consonância entre a letra e a melodia da canção. Por exemplo, se repararmos, respectivamente, os primeiros versos das estrofes 3 e 7, podemos observar o seguinte:

3. - E se eu fosse/ o primeiro a voltar/ pra mudar o que eu fiz,/ (...)
7. - E se eu for/ o primeiro a prever/e poder desistir/ (...)

A melodia e a letra parecem tecer entre si semelhanças e sugestões que vão compondo pouco a pouco o universo da canção. Notamos nos versos 3 e 7 que tanto o saudosismo do velho quanto a ansiedade do moço são marcados musicalmente com notas altas, como se a elevação da voz à notas mais agudas aludissem ao anseio e inquietação das vozes líricas à  realização de seus desejos, quer se referindo  ao passado, quer referindo ao futuro.

Além disso, é preciso atentar como o desdobramento das palavras sugere, quase espontaneamente, o acabamento da estrutura da canção. É o que reparamos no verso 5 da estrofe ,  a palavra gasto, por exemplo, remete às coisas já gastas, às coisas passadas, à tradição a que a voz lírica do velho se refere. Outro exemplo seria o 3° verso da estrofe 5. A palavra vaidade, desdobrada, transforma-se em vai idade, fazendo menção, assim, à transitoriedade e legeireza a que acomete a juventude do moço. Há outros exemplos, mas tornariam a leitura cansativa...

Em verdade, o propósito deste blog não é extinguir as possibilidades analíticas dessa canção, ou de qualquer outra que pretenda expor em análise. O trabalho aqui desenvolvido nada mais é do que o desejo de decifrar passo a passo o enigma da palavra, em especial, da criação poética da banda Los Hermanos, oferecendo aos leitores ainda mais deleite com a obra. Conto com a contribuição dos leitores,  afinal, essa foi apenas uma das possíveis leituras. Gostaria de conhecer, também, a sua. Se sentir vontade, comente.

Até a próxima!




81 comentários:

  1. Rodrigo Amarante, por ter vivido aqui no Ceará, com certeza deve ter lido o poeta Pe. Antonio Tomás, pois essa música tem fortes influências de um poema do referido acima que trata do mesmo tema da música, a influencia do tempo no homem. Inclusive o nome do poema é bem semelhante com o nome da música. Infelizmente não lembro do nome e nem acho o livro. Quando tiver o nome repasso em seguida. Muito bom a ideia do blog. Já que eles não voltam, vamos saciar a saudade esmiuçando a obra deles! Boa sorte e continue assim. Vou disseminar seu blog.
    Abs!

    ResponderExcluir
  2. Anônimo,

    Fiquei extremamente intrigado com o que vc. disse e pesquisei sobre Pe. Antonio Thomás. Encontrei o poema, se chama "Contraste".
    E concordo com vc. Há sim intertextualidade entre a canção de Amarante e o soneto de Pe. A.Thomas.
    Gostaria de apontar sua contribuição na interpretação do poema, vc. me permite?
    Responde...

    Abraço!

    ResponderExcluir
  3. Fala Amorim, beleza? Sou o Fernando do blog musicaemusico! Parabens pelo blog e já está adicionado a lista de blogs do musicaemusico.

    Mais uma vez parabens pelo trabalho!

    valeuu

    ResponderExcluir
  4. Jônatas
    simplesmente perfeita essa musica. Sinceramente não conhecia até então e olha que gosto muito das composições deles. Sua interpretação entao, nem se fala. Parabéns! Depois da leitura acho que estou com a alma um tanto quanto velha, kkk.
    Otimo trabalho!

    ResponderExcluir
  5. Olá Jonatas...
    linkei o blog de vcs lá no meu!
    Vou procurar algo sobre o pe Antonio Thomas...

    beijo

    ResponderExcluir
  6. Uma das minhas favoritas dos Hermanos... e tenho o mesmo sentimento de passagem de tempo na parte instrumental, como você disse. rs

    Parabéns pelo blog, Jonatas!
    Continue postando.. já favoritei aqui :D

    Abraços,
    João Guilherme (roadie.com.br)

    ResponderExcluir
  7. ótima análise, estou impressionada.
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Jônatas,

    Nas primeiras vezes que ouvi a música eu apenas a sentia dentro de mim. Ela vagava em minha mente e me fazia viajar, talvez no tempo.
    Depois que ouvi milhares e milhares de vezes começei a reparar as entrelinhas e nuances técnicas também.
    Mas isso não quer dizer que o poetismo e leveza que eu tinha quando a ouvi pelas primeiras vezes passou.
    Muito pelo contrário! Fiquei ainda mais impressionado.

    Mas me diz uma coisa, você acha que o Amarante e cia penssaram em exatamente tudo que vc falou? Ou de repente ele apenas quis contar uma simples história de um Senhor envelhecido sentado em uma cadeira de balanço, em uma varanda fria e calma, fazendo conclusões sobre sua vida. :)

    Gostei da sua análise! Acima de tudo o importante é que a música toca não só o meu mas o coração de muita gente!

    Certo que comungamos do mesmo pão!

    Já estou seguindo seu blog! Vou sempre passar por aqui!

    Abraço

    Filipe
    http://tantoquetransborda.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. acabei de ver seu comentário em meu blog. Ao ler o que você escreveu, vi que estava com um blog de análise e interpretação das músicas dos meus queridos hermanos e vim correndo para cá...

    ótima análise, hein.

    essa é uma de minhas preferidas. (geralmente, as do Amarante são)

    agradeço a visita no meu .desatino
    e digo que voltarei sempre aqui.

    ResponderExcluir
  10. Sempre achei pura bobagem complicar o simples...essa música e tantas outras não precisam ser dissecadas...para ser entendidas. A inteligência está na sensibilidade...e no amadurecimento de cada um. Uns estão prontos outros Não. Mas vai lá continua fazendo o que todo mundo fazia nas aulas de ciência...abre o sapo no meu para ver como bate o seu coração.

    Tatiana

    ResponderExcluir
  11. Sempre achei pura bobagem complicar o simples...essa música e tantas outras não precisam ser dissecadas...para ser entendidas. A inteligência está na sensibilidade e no amadurecimento de cada um. Uns estão prontos outros Não. Mas vai lá... continua fazendo o que todo mundo fazia nas aulas de ciência...abre o sapo no meio para ver como bate o seu coração


    Tatiana

    ResponderExcluir
  12. Bom saber que existem pessoas que realmente se interessam por bons artistas. Amaral é um ótimo compositor, instrumentista, músico em geral. Concordo que desvendar não é bem a palavra para entender um pouco de suas músicas, sentir seria muito mais apropriado até porque para rotular Los Hermanos e Amaral, seria necessário a criação de um novo estilo. Samba, Jazz, Rock e "Hermanes", ... rsrsrsrs
    Boa sorte!

    ResponderExcluir
  13. oi jônatas, que boa surpresa o teu blog... melhor ainda agora em tempos desse retorno tímido do grupo que tanto gostamos.

    gostei da tua visita.

    vou voltar sempre.

    abraço!

    p.s.: eu AMO, AMO, AMO, AMO o amarante.

    ResponderExcluir
  14. Fala Jonatas, seu blog é muito bacana velho e muito original tbm! Parabéns!!!! Confesso que não sou nada fã da banda. Apesar da qualidade musical do grupo, discordo um pouco da postura dos caras que, na minha opinião, insistem em fazer o estilo "nós somos cults, fazemos músicas para intelectuais". Mas isso é a minha opinião. Parabéns mais uma vez por sua iniciativa, conte sempre com o Vitrola!!!!
    Abraços!!!!

    ResponderExcluir
  15. Ei Amorim,

    Seu blog é muito legal! A idéia de pegar as letras das músicas e analisá-las é genial. Parabéns viu?!

    Bjos,

    Dani Pacheco

    ResponderExcluir
  16. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  17. também fiquei muito feliz! e também sou de sampa, ou seja, nada de show para nós. HUAHAUHUAHUA mas a esperança de que eles venham fica!
    curti muito a ideia do blog!
    fico esperando novas postagens ;*

    ResponderExcluir
  18. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  19. Muito legal sua interpretação dessa canção.
    AMO ela e quando ouço me sinto exatamente nesse clima que tu descreveste no post, entre minhas incertezas de uma jovem mãe de 26 anos e entre minhas experiências de uma jovem mãe de 26 anos!

    Estou ansiosa pela sua leitura de outras músicas hermaníacas e principalemente por "Além do que se vê", música pela qual sou apaixonada!

    Abração!

    Ah, já coloquei seu blog nas leituras recomendadas do meu Chá das Idéas, parabéns pelo seu excelente trabalho! ;)

    ResponderExcluir
  20. Muito Bom cara!
    Essa iniciativa de avaliação das letras de Rodrigo, Marcelo e sua banda eh muito bacana!
    Temos que trazer essas qualidades musicais a tona! naum deixar que esses caras se apaguem do cenário musical de hj em dia!!
    continue assim, que farei questão de acompanhar suas analises, muito boas por sinal, e se possivel trarei algumas tb!
    vlw!!

    ResponderExcluir
  21. -
    A-D-O-R-E-I!!!!

    PARABÉNS PELO BLOG E PELA ANÁLISE.
    Muito bom memso.
    Já tô te seguindo!

    Abtraço da MOnny

    -.

    ResponderExcluir
  22. Eu gosto da sensibilidade das Letras do Los Hermanos, e tb da sua profundidade, eu nunca parei pra pensar dessa forma analítica, mas acho mt válido, faz a gente enxergar nas entrelinhas, uq havia ficado subentendido.

    Parabéns pelo blog e vou acompanhar sempre !!

    ResponderExcluir
  23. Assumo que não botei muita fé em teu blog, mas estou muito surpreso com o que vi. Parabéns!! Discordo em alguns pontos, concordo em outros. Se por um lado acho que musica, e qualquer forma artística, são propriedade de quem consome...acho interessante a tentativa de dissecação do que queria dizer, o autor, quando a produziu.

    Essa musica é importantíssima na minha vida, justamente por conta da MINHA interpretação dela. Talvez nem seja a que o autor quis dar, mas isso pouco importa.
    Meus parabéns pelo trabalho e deixo um desafio. Que tal brincar com o "sétimo andar", na próxima???


    Tas na minha lista de blogs à ser seguido.

    ResponderExcluir
  24. lOS Hermanos sim me faz sorrir, mas eu prefiro encachar-las em minha vida, as letras profundas em fim, eu ja havia entendido a letra mas mas prefiro nao tentar imaginar o que o amarante quis dizer com aquilo, estrofe, blá blá mas sim o sentimento que ele me passou, o que ele me fez questionar... e essa musica me dá a liberdade de me auto-questionar, independente do que ele estava sentindo, como o ultimo romance que fala dos velhinhos enfim, ou conversa de boatas batidas que fala de um incêndio no motel, independente da inspiração que eles tenham usado, prefiro me auto questionar, agora se vc tiver um post sobre dois barcos parecido com este, teria o maior prazer em ler...

    eu consigo imaginar na primeira estrofe de dois marcos a seguinte metáfora....

    "se vc quer muito alguma coisa, vá em frente...enfreta..e foda-se...."

    mas muito bom o post!

    ResponderExcluir
  25. olá Jônatas Amorin,
    valeu pela visita em meu blog,
    gostei muito da analises nas letras.
    parabéns!
    toh seguindo...
    quando der apareça no meu tbm.
    forte abraço.

    ResponderExcluir
  26. Caro Jônatas:
    Gostei muito do seu blog e da profundidade que aborda o tema!
    Sinceramente, nunca acompanhei o Los Hermanos além de “Ana Júlia”.
    Vendo o filme postado, e a beleza da apresentação, percebi que ainda prefiro “Ana Júlia”.
    Mas, apreciei sua explanação!
    Sandro

    ResponderExcluir
  27. Amigos,
    Muito bom poder compartilhar visões da arte. Depois que o artista lança seu barco nas águas, ele não mais lhe pertence. Compartilhar leituras é enriquecer nossas vidas com símbolos, idéias, perspectivas. Acho o trabalho do Los Hermanos muito especial, tanto em termos de música, detalhes, peças de uma construção bem cuidada, até nas sujeiras sonoras ou estéticas, como em relação às letras. É claro que interpretações são um terreno perigoso. Vai perguntar para o poeta se ele quis dizer aquilo, ou aquilo outro, ele poderá te decepcionar. Mas a obra é o que ela nos faz sentir ou pensar, etc..
    Mas, com certeza, em Los Hermanos nada está alí, por incongruente que possa parecer, por "acaso". Tudo tem uma intencionalidade, mesmo se for fruto de experimentos casuais. Entendo assim. Basta prestar atenção nos detalhes de arranjos, como são trabalhados com cuidado. Há carinho e amor pelo que fazem.
    Por outro lado, os considero extremamente "espiritualizados" e humanos. Tá bom por aqui.

    ResponderExcluir
  28. Adorei o blog e a análise.Fiquei contente em ver que você também viu o que eu vi, que eu fiz uma análise "correta" da música.
    Todas as letras dos Hermanos são extremamente ricas de sentimentos e poesia, ficarei de olho nas suas próximas análises!

    Parabéns!

    ResponderExcluir
  29. Apesar de achar que a grandeza da música é a diversidade que ela consegue abranger, dependendo do ponto de vista do ouvinte, também acho digno fazer uma abordagem um pouco mais profunda dos temas buscando sempre discutir sobre o que a gente acha que o autor nos quis transmitir.

    Estávamos precisando de um blog como esse.
    Vou acompanhar os próximos posts por aqui.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  30. Putz... o blog ta do caralho..

    agora o comentario de Pr Santos Marcio foi foda...... bizarro demais... o cara num saca los hermanos mesmo.. ver um filme desse e dizer que prefere ana julia... ahahahahhhahhaha

    ResponderExcluir
  31. Pois é, não manjo nada mesmo de Los Hermanos;
    Quem sabe acompanhando o blog eu aprenda alguma coisa!!!
    Só que meu nome é SANDRO MARCIO, não Santos Marcio, nem corínthians Marcio, nem são paulo Marcio, viu!?!

    ResponderExcluir
  32. Ou então, Atlético Mineiro Márcio. Que tal?
    Só prá botar meu Galo nisso.
    Carlos Wagner

    ResponderExcluir
  33. Adoooooooooooooooooooooooooooooorei o blog velho, Los Hermanos são fodastico ne, não tenho nem o que dizer =D

    ResponderExcluir
  34. Jônatas, parabéns pelo blog! Apesar de não ter a mesma admiração pelas músicas dos Hermanos (e você sabe que eu tentei! rs), gostei muito da análise e da iniciativa do blog, especialmente por saber que muitos seguidores da banda, principalmente os jovens, certamente terão a oportunidade de desenvolver um contato maior com a linguagem e com a palavra através deste veículo que busca decifrá-las no âmbito musical! Este é, com toda certeza, um exercício que desafia o nosso raciocínio e os nossos sentidos, e só tem a acrescentar para nossa formação como cidadãos que buscam o conhecimento e a sabedoria, tanto pela experiência, quanto pela leitura, e inclusive pela música, que muitas vezes tem até mesmo o poder de nos tornar pessoas melhores. Continue assim!
    Abraços
    Marcelle

    ResponderExcluir
  35. Aliás, devo confessar que depois de ver tanta dedicação de sua parte com relação às musicas deles, até consegui gostar um pouco desta... rs
    Bjos

    ResponderExcluir
  36. Desde a 1º vez que escutei essa música me senti extremamente emocionada, refleti muito em cima de sua letra, da minha própria vida, " se eu fosse o 1º a voltar e mudar o que eu fiz , quem então agora eu seria", quem eu seria se eu tivesse tomado outro tipo de escolha em determinado tempo da vida. E hj em especial me vejo na msm situação...sou péssima em fazer escolhas e por isso sempre escolho o "não". Sim, sou covarde!
    Os caras são muito espiritualizados além de inteligentes e poéticos. Me sinto envaidecida em ter a capacidade de entender suas canções, de amá-las e de ser uma fã convicta de uma banda que nunca vai acabar, mesmo que eles estejam parados, nós sempre estamos escutando em casa, eles moram no nosso coração.


    "Vou levando assim , que o acaso é amigo do meu oração, qdo fala cmgo, qdo eu sei ouvir..."LH


    Tô te seguindo...parabéns!

    beijão!

    ResponderExcluir
  37. Ah quero analisar uma estrofe.

    O Amarante, disse numa entrevista à revista TRIP que não se intitula espírita, mas que pesquisa muito sobre isso(espiritismo e espiritualismo), o que fica claro na canção "O VENTO" e na seguinte estrofe de "O Velho e o Moço":

    "Tanto faz
    Que o que não foi não é,
    Eu sei que ainda vou voltar...
    mas eu quem será?"

    Ou seja, se as escolhas que fazemos nos levam a termos determinados "futuros", tanto faz, pq sempre voltamos(em próximas reencarnações), só que nunca sabemos (nesta encarnação) quem seremos na próxima...


    vlw

    ResponderExcluir
  38. Maravilhoso! Aguardo anciosa os próximos posts =)

    ResponderExcluir
  39. muito bommmmmmmmmmmmmmmmmmmm!!!! parabensssss precisa fazer um tambem da Legião urbana são minhas duas bandas preferidas acho que tem muito haver abraçossssssss

    ResponderExcluir
  40. Quero saber quando será a vez de serem analisadas a poética e a pungência de canções como "Sapato Novo". "Dois Barcos", "Os Pássaros"... aliás, o disco "4" é, na minha humilde opinião, o que conta com as letras mais belas e instigantes já compostas pelos dois. um mergulho no inconsciente coletivo.

    Abraço

    ResponderExcluir
  41. Adoro los hermanos, adoro os caras,as músicas tudoooo e Adorei esse blog aqui vou seguir sempre... Moro em caruaru-PE e já fui à Recife garantir o meu ingresso e já estou com ele em mãos louca que chegue logo o dia do show e apreciar esses caras... Essa música é muito linda como todas deles e a analise que vc fez.... muito bom mesmo!!! parabéns!!

    ResponderExcluir
  42. ooi!
    muito bom o o texto!
    porque não continua escrevendo e postando?!
    :D

    ResponderExcluir
  43. "Por que parou?. Parou por que?"
    Ânimo, cara!
    Estamos esperando!
    Carlos Wagner

    ResponderExcluir
  44. Mto bom cara!
    Devia dar continuidade ao trabalho.
    Filipe

    ResponderExcluir
  45. Como assim? Tudo o que eu queria era ler ver esse blog. Aguardo outros posts com muita anciedade! Parabéns pelo trabalho! Não sei se tenho o direito de palpitar, mas uma música que tenho grande curiosidade de entender melhor é "Paquetá". A letra é bem interessante e rica nas palavras. Um cuidado com as palavras, faz com que ouçamos a canção com os ouvidos mais aguçados.

    Parabenizo-o mais uma vez.
    :D

    ResponderExcluir
  46. Que belo blog! O velho e o moço são umas das grandes canções dos barbudos que me fazem pensar muito. Talvez pra tentar achar um equilíbrio entre o conformismo e a ousadia de ambas vozes na letra.
    Sugiro analisar conversa de botas batidas, esse eu quero ver.. =)

    ResponderExcluir
  47. Essa música me diz coisas que estão muito além da minha capacidade de exprimir. E é isso que me impressiona nela. Minha alma estremece quando a ouço. Amarante compõe musicas como quem faz poema, e seus versos tem uma profundidade e um valor espiritual muito grande pra mim. O velho e o Moço, em particular, me possibilitou uma experiência maravilhosa, não era o que a música dizia de si mesma, mas o que ela dispertava em mim. Acredito que seja esse o propósito da poesia, ou de músicas como esta. Não há como saber o que se passa pela cabeça de algúem no momento em que um verso nasce, o que importa, de verdade, é o que acontece em nosso íntimo quando somos tocados por esse verso. A poesia se renova a cada encontro, por isso achei muito importante você lembrar que a sua interpretação foi apenas a "sua interpretação", mas que existem outras possibilidades analíticas, e eu digo que essas possibilidades são infinitas.
    Parabéns pela análise, ela não muda a minha forma de sentir a música, mas oferece uma nova visão da poesia que ela encerra quando me permite olhá-la através dos seus olhos.
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  48. Olá, como fã de Los Hermanos, to curtindo o blog.
    Eu concordo muito com a sua interpretação. Acho que uma música é muito diferente de pessoa para pessoa, mas a minha interpretação se aproxima muito da da Paty.
    Não vi essa entrevista de Amarante da qual ela se refere, mas para mim ela sempre falou de vida após a morte. Acho q esse velho e o moço são a mesma pessoa em vidas diferentes...Bem, não sou espirita, mas vejo um pouco desse ãngulo.
    Um abraço e até os próximos posts.

    ResponderExcluir
  49. E nunca mais postou nada?

    Excelente trabalho.

    ResponderExcluir
  50. Queresmos mais postagem, queremos mais postagem, queremos mais postagem... Pô, Truta, o q aconteceu?

    ResponderExcluir
  51. Queremos mais postagem! [2]
    Cara, você tem a partitura da parte "Eu sei que ainda vou voltar, mas eu quem será"?
    Tem como vc me mandar?

    ResponderExcluir
  52. Queremos mais postagem! [3]
    Análise bem feita demais! Parabéns.

    ResponderExcluir
  53. QUEREMOS MAIS POSTAGEM![4]
    VC ouviu o povo, posta logo! ^^
    abraço
    Paula

    ResponderExcluir
  54. Tá, certo! Terça-feira tem análise saindo quentinha do forno...

    Obrigado a todos pela consideração.

    Aguardem.

    ResponderExcluir
  55. Aêêêêh,já não era sem tempo!
    E a partitura, voês tem?
    =D

    ResponderExcluir
  56. Hj é terça e nada ainda!!! Kd as novas???
    ;-)

    ResponderExcluir
  57. kade a analise nova?Hoje é quarta e nada... Oo

    ResponderExcluir
  58. Fala sério Amorim, vc não sabe que nós, os fãs dos Los Hermanos somos os fãs mais chatos do mundo? (risos)

    "Queremos mais postagens, queremos mais postagens..." hahaha

    Abraço!!! =]

    ResponderExcluir
  59. Queremos mais postagens...queremos mais postagens...queremos mais postagens...HOJE É QUINTA FEIRA!

    ResponderExcluir
  60. Hj já é 8 de outubro, a promessa foi do dia 27 de setembro e até hj nada!
    Queremos mais postagens!

    ResponderExcluir
  61. Concordo com a C!nd!
    QUEREMOS + POSTAGENS
    QUEREMOS + POSTAGENS
    QUEREMOS + POSTAGENS
    QUEREMOS + POSTAGENS
    QUEREMOS + POSTAGENS
    QUEREMOS + POSTAGENS
    QUEREMOS + POSTAGENS
    QUEREMOS + POSTAGENS
    QUEREMOS + POSTAGENS
    QUEREMOS + POSTAGENS
    QUEREMOS + POSTAGENS
    kkkkkk!!!!
    abraço ^^
    Paula

    ResponderExcluir
  62. Adoro Los Hermanos e gostei muito deste blog, pena que não lembro o nome do meu para te adicionar... vi seu blog procurando informações sobre o retorno da banda; bem legal a temática!!! está de parabéns!
    Para mim, na minha opinião um toque de tristeza e saudade permeia todas as estrofes com um misto de lágrimas e sorrisos... lágrimas de alegria e pena de si, por não conseguir mudar, em alguns momentos... e alegria de ver que é um ser humano, limitado e impotente, mas real!
    Enfim, adoro, gostaria de ir mais vezes ao ultimo show, foi o melhor que eu já fui deles, uma energia incrivel!!! gostaria de sugerir a musica Sentimental, para o povo desmembrar profundamente, analise é uma palavra meio esquisita, rs, adoro esta música, também me fala muito ao coração - não sou EMO - rs
    Abraços, Lidia

    ResponderExcluir
  63. Muito bom! Mas uai, cadê as novas postagens???

    ResponderExcluir
  64. e aí vem analise nova ou naum?

    ResponderExcluir
  65. Gostei muito do blog, e de suas análises, são muito interessantes.
    E além de tudo, é bom ver que tem muita gente que aprecia uma boa música hoje em dia.
    Gostaria de pedir um favor, analise SENTIMENTAL, acho que é uma música muito bonita, e vale a pena ser interpretada, gostaria de ver a opinião de mais pessoas sobre essa canção.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  66. Caro Jonatas,

    Obrigadapela visita na coluna. Espero que tenha gostado do texto. Muito boas suas análises, mas, já sabe né? Queremos + posts!!!!
    Onde eles estão, minino?!?
    No próximo, que tal analisar "Conversas de Botas Batidas"? Me disseram que é um diálogo entre 2 amantes. Idosos. Que morreram queimados num incêndio de um motel. E não acreditei. Sreia bom seu olhar sobre essa música. Que tal? Toda sexta-feira tem um post novo na coluna. Espero vê-lo sempre, ok?
    Bjinhos!

    ResponderExcluir
  67. Jonatan;

    Gostei muito da sua analise q me fez compreender melhor essa musica maravilhosa do lh como todas as outras tenho apenas 13 anos e ja sou fanatico por lh
    se nao for muito encomodo irei botar algumas partes do seu texto no meu perfil do orkut

    abraço

    ResponderExcluir
  68. Incrível sua análise, confesso que me emocionou, adoro lh e essa interpretação me inspirou para uma nova forma de trabalhar interpretações em sala de aula (sou estagiária)Parabéns pelo blog!

    ResponderExcluir
  69. Parabéns,adorei. A espera de mais

    ResponderExcluir
  70. Interpretação sensacional, poste mais dissecações!!! Pelo amor!

    ResponderExcluir
  71. parabéns, ótima análise, blog muito interessante!

    ResponderExcluir
  72. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  73. Caro Jônathas,

    Muito obrigado pelo excelente esclarecimento sobre “O Velho e o Moço”, que você proporciona em seu argumento.
    Desnecessário dizer que, após ler o seu texto, todos nós passaremos a ouvir essa e todas as outras canções do Los Hermanos com mais circunspeção e agudeza de espírito.

    Sempre tive a impressão que essa música tratava da dialética entre pais e filhos. Daí, no show que os caras fizeram aqui, em Brasília, no último sábado (dia 05/05), o Rodrigo - antes de começar a cantar - disse que a música era uma homenagem ao seu pai, o que reforçou essa minha tese. Mas, idiossincrasias à parte, quero lhe parabenizar por conseguir, de uma forma muito particular, ser didático e onírico, com leveza! Estou impressionado com esse feito. Parabéns, cara!
    Abraço meu,

    Dema Assis.
    www.fragmentosdaalmahumana.blogspot.com

    ResponderExcluir
  74. Muito bom seu blog! Pena ter parado...

    ResponderExcluir
  75. Olá!!!
    Valeu por disponibilizar esse conteúdo,Los Hermanos foi uma grande influência para a realização do meu projeto musical.
    Abraço!
    Zuza Zapata
    bitly.com/zuzazapata

    ResponderExcluir
  76. Parabéns pelo texto, além de, é claro, um sincero obrigado. Los Hermanos é uma das bandas que mais me influenciam tanto na musica quanto nos meus poemas e essa musica sempre me chamou a atenção exatamente pela letra linda que o Amarante fez.
    Novamente, obrigado!

    ResponderExcluir